01 Aug, 2018

Comunicado sobre a venda e consumo de alimentos halal

01 Aug, 2018

Deus, o Altíssimo, disse no Alcorão Sagrado, Surata Al-Baqara, versículo 168:

“Ó humanos, desfrutai de todo o lícito e do que a terra contém de salutar, e não sigais os passos de Satanás, porque é vosso inimigo declarado.”

O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse:

“Foi ordenado naquilo que foi ordenado antes de mim, que não se alimentai senão com o lícito e não praticai senão o bem.”

Louvado seja Deus, o Senhor do universo, que a paz e as bênçãos de Deus estejam com o Profeta Mohammad (S.A.A.S.), com seus Ahlul Bait (A.S.), com seus bons companheiros e todos os que os seguem verdadeiramente até o dia do juízo final.

Após termos recebido questionamentos de queridos irmãos e irmãs interessados com a questão dos alimentos halal nos sentimos religiosamente responsáveis por esclarecer os seguintes pontos:

Primeiro: Nem tudo que é produzido pelas empresas e frigoríficos brasileiros de carne bovina, aves ou enlatados, tais como as marcas NAT, Le Vida ou Lar, é aprovado pelo Centro Islâmico no Brasil. Aprovamos APENAS aquilo que tenha tido a nossa supervisão no abate, produção, embalagem e carregamento, desde o início até o fim de todo este processo de trabalho.

Segundo: O Centro Islâmico no Brasil não certifica uma empresa, frigorífico ou marca específica de forma indiscriminada e por tempo indeterminado, e aprova apenas quantidades específicas produzidas dentro do tempo determinado que supervisiona a produção da unidade selecionada da empresa, produção esta que carregará em seguida a etiqueta e o selo halal do Centro Islâmico no Brasil. Portanto, o Centro Islâmico no Brasil NÃO GARANTE que a produção integral da empresa ou frigorífico seja halal, certificamos apenas aquilo que supervisionamos no tempo em que acompanhamos todo o processo de produção.

Terceiro: A mera existência de termos como “Halal” ou “produzido sob os preceitos islâmicos” nas embalagens daquilo que é oferecido ou vendido nas lojas, restaurantes ou açougues, NÃO É PROVA LEGÍTIMA, seja para o vendedor ou consumidor, de que tais produtos são verdadeiramente halal. Deve-se pesquisar para se ter a certeza, por meio de pessoas de confiança e especialistas da área ou por quem supervisionou, a respeito do grau de confiança do produto. Isso para que a pessoa, vendedor ou consumidor, não pratique/consuma o haram (ilícito). Por isso, A MERA ALEGAÇÃO DA EMPRESA PRODUTORA DE QUE SEU PRODUTO É HALAL NÃO PODE SER CONSIDERADA COMO PROVA LEGÍTIMA E SUFICIENTE AO MUÇULMANO.

Quatro: O Centro Islâmico no Brasil garante exclusivamente a legitimidade halal dos produtos sob sua supervisão e distribuição, e que carregam o seu selo halal.

Quinto: Não há direito legítimo, religioso ou moral, de terceiros fazerem uso do nome ou logo do Centro Islâmico no Brasil para fins pessoais ou comerciais, sendo que tal uso indevido dará ao Centro islâmico no Brasil o direito de tomar as medidas legais cabíveis e necessárias.

Para perguntas e esclarecimentos favor entrar em contato direto conosco nos seguintes números:

Escritório: (11) 2271-2040
WhatsApp: (11) 96432-0491

Sheikh Taleb Hussein Al-Khazraji
Centro Islâmico no Brasil
Segunda-feira, 30 de julho de 2018

 

As recompensas do ganho e dos alimentos halal (lícitos)

Certificar-se da condição halal do alimento é sinal de cuidado com a saúde e o bem estar, e da atenção com as questões religiosas e a firmeza nos princípios da mensagem islâmica. Foi narrado que um homem veio ao Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) e disse: “Ó mensageiro de Deus, quero que minha oração seja atendida”. Então, o Profeta (S.A.A.S.) disse: “Purifique seu alimento e não introduza em teu estômago o haram (ilícito).”

O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “Deixar de ganhar um miligrama de algo haram (ilícito) é mais amado para Deus do que cem peregrinações realizadas com uma riqueza halal (lícita).”

O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “Aquele que come algo halal terá um anjo por cima de sua cabeça clamando para que Deus o perdoe até que ele termine de comer.”

O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “Deus iluminará o coração daquele que come comida halal por quarenta dias consecutivos.”

O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “Dormirá perdoado aquele que for repousar cansado por ter trabalhado para obter ganhos halal (lícitos).”

O castigo dos alimentos haram (ilícitos)

O Islam nos alertou sobre comer algo haram, pois isto trará consequências severas sobre o ser humano e a sociedade, nesta e na outra vida.

O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “Será amaldiçoado pelos anjos do céu e da terra todo servo que introduzir uma única porção haram (ilícita) em seu corpo.”

O Mensageiro e Deus (S.A.A.S.) disse: “Deus proibiu o Paraíso ao corpo que se alimenta com haram (ilícito).”

O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “A devoção acompanhada do consumo do haram é como construir sobre a areia.”

O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “Agir ao mesmo tempo em que se consome o haram (ilícito) é como transportar água com uma peneira.”

O Príncipe dos Fiéis (A.S.) disse: “O pior dos alimentos é o alimento haram (ilícito).”

O Imam Assadeq (A.S.) disse: “O ganho com o haram (ilícito) terá efeitos sobre as futuras gerações.”

Louvado seja Deus, o senhor do universo. Ele é o nosso melhor apoio!

Para perguntas e esclarecimentos favor entrar em contato direto conosco nos seguintes números:

Escritório: (11) 2271-2040
WhatsApp: (11) 96432-0491

Centro Islâmico no Brasil
Segunda-feira, 30 de julho de 2018

Leave a comment:

Your email address will not be published. Required fields are marked *